Caminhamos pelos lugares onde nossos antepassados passaram. Nossos avós eram originários do Paraguai. Naquela época, ainda não se chamava Paraguia. Foi de lá que nossos antepassados vieram. 
Depois de vários anos vivendo naquelas terras, apareceram os brancos no lugar que Nhanderu criou pra gente viver. Para nossos avós viverem. 


Depois nossos avós tiveram filhos e netos e alguns se mudaram para outros lugares. Caminharam por esses três países que formam a tríplice fronteira.Foi depois de muitos anos vivendo nessa região que apareceram os brancos. Vieram do outro lado do mar. E tomaram esses territórios que eram ocupados por nossos parentes, este mesmo território que também nós ocupamos.


Nossos antepassados, quando falecia alguém próximo, rezavam para Nhanderu, para que ele os indicasse um outro lugar para viver e que iluminasse sua caminhada em busca desse novo lugar. Por isso nossos parentes se mudavam. Neste mesmo território onde vivemos hoje. E assim formamos o lugar onde fazemos nossas fogueiras [as aldeias Mbya-Guarani, as tekoás]. Se Nhanderu nos ilumina para irmos para um outro lugar, seguimos seu chamado. Se não, permanecemos no mesmo lugar. 


Quando os brancos viram nossos avós pela primeira vez, eles não compreenderam que éramos filhos de Nhanderu. Quando Nhanderu nos criou, ele nos deu também uma alma, mas os brancos não acreditavam. Achavam que não conhecíamos Nhanderu. São os brancos que não sabem onde estão os seus deuses. Eles só acreditam em um único deus, e no filho dele. Nós entendemos que existem vários deuses, e sabemos de onde vêm e o que fazem desde a criação da terra.


Ainda hoje os brancos não nos acreditam. É por isso que eles não acreditam que somos donos dessa terra e por isso também não querem nos ouvir. Hoje em dia é difícil conseguirmos um novo lugar para acender nossas fogueiras. Os brancos não querem reconhecer uma terra vasta. 


Graças às crianças, que têm a alma pura, ainda podemos viver da nossa maneira neste lugar, mas os brancos chegam e corrompem isso. É muito difícil para todos nós. Os brancos querem nos dominar. Isso é que é complicado. É isso o que eu tenho para dizer para todos os nossos parentes que estão em todos os cantos do nosso território ouvirem e verem.